terça-feira, 27 de março de 2007

Borboleta

Voa, Borboleta!
Voa rápido e desordenado.
Voa de um lado a outro.
Procura sua direção.

Voa no movimento circular.
Só para eu te observar e
Meu sono chegar.
A luz está te incomodando?!
Sai pela janela e sai voando.

Voa, Borboleta!
Bate suas asas!
Procura tua casa.

Continua voando sobre mim...
Prometo não te tocar.
Vou deixar seu vôo livre,
Para você não se machucar.

Um comentário:

Fênix disse...

Amo tudo que fala sobre pássaro e liberdade. Amei este teu texto, prima. Tudo que a gente ama tem que deixar voar, livremente, sempre... há mais beleza na vida, assim.
Beijo, saudades