terça-feira, 29 de julho de 2008

Barraca de camping


Quero sair por aí, sem rumo, sem destino, sem tempo cronometrado. Colocar uma mochila nas costas e percorrer lugares onde nunca andei. Quero sentir a liberdade na ponta do meu nariz, para ver sua real sensação. Sair que nem um pássaro com asas bem longas voando sem parar. Viajar, viajar, viajar. Passar horas, minutos, segundos para descobri o verdadeiro significado do que é o viver que todos os homens aspiram.

Por enquanto fico na minha barraca de camping, escondida, pensativa, e coberta com meu edredon da angústia e da tristeza. Olhando para fora, como uma cadela vira-lata com medo de ser maltratada e chorando por carência.

O cobertor, às vezes é tão quentinho, que traz um pouco de proteção, só assim sei que há um coração que bate, cheios de sentimentos para dar. A noite lá fora parece bonita e atraente, as estrelas parecem me chamar. Mas, eu tenho medo...

Medo de viver o que não vivir. Medo de viver o que eu sempre quis. Medo de enfrentar o mundo e seus desencantos. Me deixe aqui na minha barraca de camping...

2 comentários:

Jéssis disse...

É teu mone ?!?
Adoreiiiiiiii.
E tou adorando nossos dias.
Figurinhaaa.


=***

Dona Preta disse...

Terminei a pós ainda ñ estamos só começando a fazer o TCC. Que será um video sobre as narrativas da feira de são joaquim. Ufa! O bom que tudo acaba em cerveja (Risos).Estou aqui de visual novo coloquei um black da porra. E vê se aparece mulher saudade de vc.Xêros...